Idade Média

O Que foi a Idade Média?

A Idade Média foi um período da História que durou aproximadamente mil anos, marcado pela queda de Roma e finalizado no século XV, com a chegada dos espanhóis à América.

Durante esse período a Igreja Católica teve sua ascensão e as configurações políticas e sociais sofreram grandes mudanças durante esse período de mil anos.

Período da Idade Média (Quando Começa e quando termina)

Ficou convencionado que a Idade Média teria seu início marcado no século V com o fim do Império Romano e teria seu fim marcado pela chegada dos espanhóis a América.

A Idade Média foi dividida entre Alta Idade Média, iniciada no século V até o século X e a Baixa Idade Média, do século XI ao XV.

Características da Idade Média

Os historiadores decidiram convencionar uma divisão para falar da Idade Média. Além de ser um período bastante longo, com mais de 1000 anos, houve uma grande quantidade de transformações sociais, econômicas e políticas.

O período da Alta Idade Média apresenta uma transição entre a antiguidade e o medievo e a ascensão de reinos formados por carolíngios, merovíngios e demais “povos bárbaros”.

Na Baixa Idade Média, período de maior estabilidade social, aumento populacional, consolidação do feudalismo e transição para o período da Idade Moderna.

Alta Idade Média

  • Cristianização uniformiza o Ocidente medieval: os bispos têm seu poder aumentado nas cidades, formando dioceses – territórios com divisões similares as divisões administrativas do antigo império.
  • Ruralização: nesse período, diferente do que acontecia na antiguidade, há um movimento de retorno para o campo. Essa era uma tentativa de fugir e se proteger das invasões bárbaras que aconteciam em Roma.
  • Sistema feudal: o período da Alta Idade Média é também o período de construção das bases do sistema feudal, que vai se consolidar na Baixa Idade Média, por volta dos século XI-XIII. No feudalismo havia uma divisão social bastante marcada, com nobres e clero dominando a pirâmide social e servos na base da pirâmide.
  • Formação de governos independentes a partir das invasões dos povos considerados bárbaros. Após as invasões desses povos, foram se organizando e se consolidando no território.
  • Descentralização do poder: diferente do que aconteceu no Império Romano, que havia um imperador centralizando o poder, nesse período da Idade Média não há a centralização de todo o território antes pertencente ao Império Romano na figura de um rei ou imperador. Cada povo é governado por um governante diferente.

Baixa idade Média

  • Divisão da Igreja Católica do Oriente com a do Ocidente:
  • Cruzadas: batalhas dos cristão contra os mouros na região de Jerusalém para retomada da Terra Santa. Essas guerras se estenderam a locais que antes pertenciam ao Império Romano e estavam sendo dominadas pelos árabes.
  • Crescimento das cidades: com o fim das guerras, houve crescimento populacional. Devido a esse crescimento, houve também aumento na produção de alimentos e artigos da vida diária, o que fez com que houvesse excedente para ser vendido nas cidades, levando parte da população do campo para os burgos.
  • Êxodo rural: saída de parte da população do campo para viver nas cidades.

Como era a sociedade

A sociedade durante a Idade Média vivia majoritariamente no campo.

Essa situação só vai ter alguma alteração no período da Baixa Idade Média, quando existe a experiência de períodos de paz e aumento da população, fazendo com que muitas pessoas migrem para as cidades.

A Idade Média foi marcada pelo feudalismo, no qual a sociedade era dividida em ordens:

  • Clérigos (oratores), representados pelos padres;
  • Guerreiros (bellatores), representados pelos cavaleiros;
  • Os trabalhadores (laboratores), na base da pirâmide, representados pelos servos e camponeses.

Era uma sociedade estamental, ou seja, aqueles que nasciam na nobreza, morreriam sendo nobres, enquanto aqueles que nasciam camponeses ou artesão, morreriam sendo artesãos ou camponeses.

A possibilidade de ascensão social era bastante remota.

Importância da Igreja na Idade Média

A Igreja durante a Idade Média é a responsável por definir cada passo das decisões tomadas, sejam elas do campo social, político ou econômico.

Em um período no qual não existia assistência social, era a Igreja a responsável por cuidar de questões de caridade e relacionadas ao social, especialmente os monastérios.

Distribuíam esmolas e alimentos, cuidavam dos enfermos e dos funerais, cuidavam dos órfãos.

As pessoas viam na Igreja refúgio para os males do mundo e passaram a ver nesse lugar sua única fonte de informação e os religiosos como sua fonte para a verdade.

Fatos marcantes da Idade Média

  • O uso do tempo: os monges são os responsáveis por iniciar os europeus do período medieval no uso do tempo. São eles que passam a separar o momento de trabalho do momento de lazer, do ócio.
  • Surgimento da imprensa no final da Idade Média: no século XV surgiu a imprensa. Antes de seu surgimento, invenção de Johannes Gutenberg, os livros eram copiadas à mão.
  • Cruzadas: tinham como objetivo recuperar para os cristãos a Terra Santa, ou seja, a região de Jerusalém, que estavam nas mãos dos muçulmanos. Essas guerras eram uma forma de dar função aos nobres que não tinham um cargo definido nos feudos e empregar os homens que não tinham função definida em razão do crescimento populacional. Era, também, uma forma de tentar conter as invasões de povos islamizados no território europeu.

Surgimento do Islã

O Islã surgiu na Alta Idade Média, na península arábica. Apesar de não haver certeza sobre a data de seu surgimento, acredita-se que surgiu por volta do século VII.

Maomé foi o responsável por pregar aos companheiros de da região onde morava, a submissão a um Deus único, Alá.

Foi perseguido pelos governantes de sua região e fugiu com seus seguidores para Yathrib, um oásis situado ao norte de Meca, cidade onde tudo havia se iniciado.

Yathrib passava a ser a Medina do profeta. Foi a hégira, ou seja, a fuga de Maomé para Medina que marcou o início da era muçulmana.

Quando Maomé morreu, os muçulmanos sentiram que tinham a missão de levar a palavra através do “Livro” (o Alcorão) para todos aqueles que não eram muçulmanos.

O Que marca o fim da Idade Média

O fim da Idade Média não aconteceu de maneira repentina. Durante muitos anos viveu-se em um sistema feudal, que chegou ao seu limite máximo e passou a apresentar um desgaste.

Peste Negra

Doença transmitida pelos ratos, se disseminou de forma extremamente rápida, vitimando grande parte da população europeia.

A situação se agravou porque a população já apresentava problemas em relação a alimentação antes da proliferação da doença.

Em razão de chuvas abundantes, a colheita de trigo foi prejudicada, o que aumentou seu preço.

Em uma sociedade na qual a agricultura é base da economia e da sobrevivência da população, as camadas mais populares foram as mais prejudicadas, já que ficaram com uma defasagem em sua alimentação.

Guerra dos Cem Anos

Guerra entre as monarquias francesa e inglesa que durou 116 anos com poucos períodos de trégua.

A disputa se deu em razão do trono francês, pois o rei Carlos IV havia morrido sem deixar um filho homem como herdeiro. Eduardo III, rei da Inglaterra, entendia-se como herdeiro legítimo do trono francês, já que era sobrinho de Carlos IV. Em 1453, a guerra acabou com vitória francesa.

Revoltas camponesas

Em razão das guerras e da peste, muitos camponeses fugiram para as cidades.

Com uma menor quantidade de serviçais para pagar impostos, a renda dos nobres foi atingida.

Para se recuperar, aumentaram os impostos dos camponeses, que não tinham como pagar e fizeram levantes.

Idade Média considerada Idade das Trevas – Por quê?

A Idade Média foi considerada Idade das Trevas pelos estudiosos da Modernidade.

Em um comparativo com o período moderno que apresenta uma revolução no campo das ciências, passa a ter uma centralização no ser humano ao invés da religiosidade, entendiam e viam de forma inferiorizada o período anterior, no qual a vida de todos era ordenada pelo cristianismo e pela Igreja.

O centro do mundo no período medieval estava em Deus, enquanto o centro do mundo na modernidade passa para o homem, para a razão.

Curiosidades

  • Enciclopédia: herança dos gregos, transforma-se no instrumento favorito de religiosos e pessoas instruídas para ter acesso a informação e cultura.
  • Surgimento dos santos: os santos surgem como heróis, substituindo os heróis da mitologia grega. Inicialmente surgiram os mártires, que davam sua vida para honrar o Deus cristão. Os santos, assim como os bispos, são parte da camada mais alta da sociedade, guerreiros que lutaram em favor do cristianismo.
  • Criação do arado pesado e munido de rodas: esse instrumento agrícola permitia arar a terra de forma mais profunda, possibilitando melhorias na agricultura e, consequentemente, colaborando com o aumento da produção.
  • Fabricação da ferradura para cavalos: esses animais eram utilizados para puxar o arado por serem mais rápidos do que os bois. Percebeu-se, no entanto, que seus cascos eram bastante frágeis e precisavam de uma proteção extra.
História
Mercantilismo

O Que foi o Mercantilismo? O Mercantilismo foi uma espécie de plano econômico surgido na Europa por volta do século XVI. Nesse mesmo período, no final da Idade Média, permeado por uma série de crises, começava a emergir o absolutismo, período em que os reis passavam a, mais uma vez, …

História
Império Romano

O Que foi o Império Romano? O Império Romano foi um conjunto de povos conquistados, reunidos e unificados ao longo de séculos por governos romanos. O mais impressionante em sua existência foi sua capacidade militar e sua extensão territorial, possuindo territórios em África, Europa e Ásia. Período do Império Romano …

História
Feudalismo

O Que é Feudalismo O feudalismo foi um sistema econômico e político surgido durante a Idade Média (séc.V- séc.XV), mas que tem suas bases construídas no final da Antiguidade, durante o processo de decadência do Império Romano. O período de consolidação aconteceu entre os séculos XI e XIII. A divisão …